Mercados europeus têm pequenas perdas em 2016, índice britânico atinge nível recorde

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016 16:42 BRST
 

LONDRES (Reuters) - As ações europeias tiveram uma pequena queda em 2016, embora os fortes ganhos nos papeis de mineração e no setor de petróleo e gás, bem como a reviravolta nos bancos na última parte do ano, tenham dado suporte para uma melhora, ao mesmo tempo em que o índice britânico FTSE 100 .FTSE atingiu um patamar recorde de alta.

O índice pan-europeu STOXX 600 .STOXX encerrou a sessão desta sexta-feira em alta de 0,3 por cento, com quase todos os principais índices regionais na máxima.

Invertendo perdas desde o início deste ano, as ações de mineração ajudaram o índice de recursos básicos da Europa a subir 61,9 por cento em 2016, superando uma queda de 35 por cento em 2015.

O avanço do setor de mineração também ajudou o índice do Reino Unido, FTSE 100, a avançar 14,4 por cento em 2016. Foi o melhor desempenho entre os principais índices europeus de ações, apesar do choque do Brexit, em junho.

O índice, dominado por firmas globais, foi impulsionado por uma queda acentuada na libra esterlina após o referendo e pela resiliência da economia britânica.[nL1N1EP0EB]

A segunda metade do ano também registrou uma recuperação acentuada das ações do setor bancário com a melhora das perspectivas econômicas globais, um crescente ambiente de aumento da taxa de juros nos Estados Unidos e a expectativa de um menor nível de regulamentação nos EUA após a vitória de Donald Trump na eleição presidencial norte-americana.

O índice bancário europeu subiu 12 por cento no terceiro trimestre e avançou 21,5 por cento no quarto trimestre, depois de recuar 20 por cento entre janeiro e março de 2016 e cair 13 por cento no segundo trimestre.

O índice bancário, que recuou cerca de 35 por cento no primeiro semestre e teve o pior desempenho setorial, acumula queda de 6,8 por cento no ano

Pela Europa, o índice STOXX Europe 600 caiu 1,2 por cento este ano, refletindo incertezas políticas na região e preocupações com o setor bancário italiano.   Continuação...