Dólar passa a cair e encosta em R$3,20, após dados de emprego nos EUA

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 13:07 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar recuava nesta quinta-feira, pelo terceiro pregão seguido e encostando cada vez mais no patamar de 3,20 reais, seguindo o movimento da moeda norte-americana no exterior após a divulgação de dados mais fracos sobre emprego privado nos Estados Unidos.

Às 13:06, o dólar recuava 0,19 por cento, a 3,2121 reais na venda, depois de acumular queda de 1,93 por cento nas duas sessões anteriores. O dólar futuro operava com queda de cerca de 0,20 por cento.

No mínima da sessão, o dólar chegou a recuar para 3,2019 reais.

"Depois de dois dias de queda, o mercado precisava de um gatilho para testar níveis mais baixos (para o dólar). Os dados da ADP vieram fracos e a queda do dólar no exterior prevaleceu", disse o operador de uma corretora internacional.

Pela manhã, o Relatório Nacional de Emprego da ADP mostrou que os empregadores do setor privado dos Estados Unidos criaram 153 mil vagas de trabalho em dezembro, abaixo do esperado em pesquisa Reuters de abertura de 170 mil vagas.

O número acabou ofuscando o dado sobre pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos Estados Unidos, que caíram em 28 mil, para 235 mil em números ajustados sazonalmente, na semana encerrada em 31 de dezembro. O dado ficou perto da marca de 233 mil, atingida em meados de novembro, a mais baixa desde novembro de 1973.

Com isso, o dólar recuava frente a outras moedas emergentes, como o peso chileno e se afastava ainda mais da máxima de 14 anos contra uma cesta de moedas.

Mais cedo, o dólar foi negociado perto da estabilidade frente ao real, com movimentos de ajuste após as recentes quedas.

"O dólar já vinha de alguns dias de fortes quedas, acompanhando as notícias do exterior, mas não havia muito fundamento técnico no Brasil para esse movimento", afirmou o mais cedo o diretor da mesa de câmbio da corretora Multi-Money Durval Correa.   Continuação...