Presidente da China defende globalização e livre comércio em Davos

terça-feira, 17 de janeiro de 2017 11:58 BRST
 

Por Noah Barkin e Elizabeth Piper

DAVOS, Suíça (Reuters) - O presidente chinês, Xi Jinping, fez uma vigorosa defesa da globalização e do livre comércio em um discurso no Fórum Econômico Mundial, em Davos, nesta terça-feira, o que ressaltou o desejo de Pequim de desempenhar um papel global maior à medida que os Estados Unidos se voltam para dentro.

Comparando o protecionismo a "trancar-se em um quarto escuro" para se proteger do perigo, mas ao mesmo tempo privando a sala de "luz e ar", ele advertiu outros países contra perseguir seus próprios interesses às custas dos outros.

Xi não mencionou Donald Trump em seu discurso de quase uma hora, mas muitas das mensagens pareciam direcionadas ao presidente eleito dos Estados Unidos, que fez campanha para a Casa Branca com promessas de proteger as indústrias norte-americanas da concorrência estrangeira e cobrar novas tarifas sobre mercadorias da China e do México.

"Ninguém sairá como vencedor em uma guerra comercial", disse Xi ao fórum nos Alpes Suíços.

Ele disse que a globalização econômica se tornou uma "Caixa de Pandora" para muitos, mas que não foi a causa de muitos problemas globais. Ele acrescentou que as crises financeiras internacionais foram causadas pela busca excessiva de lucros, e não pela globalização.

A aparição de Xi, a primeira para um líder chinês na reunião anual de líderes políticos, CEOs e banqueiros em Davos, ocorreu no momento em que surgem dúvidas sobre se os EUA continuarão a ser uma força de cooperação multilateral em questões como comércio e mudanças climáticas.

(Por Noah Barkin e Elizabeth Piper)

 
Presidente chinês, Xi Jinping, durante discurso no Fórum Econômico Mundial, em Davos.    17/01/2017         REUTERS/Ruben Sprich