Pearson perde 30% de valor de mercado após piorar previsão para 2017

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017 15:25 BRST
 

LONDRES (Reuters) - O grupo britânico de educação Pearson perdeu quase um terço do seu valor de mercado nesta quarta-feira, após piorar as estimativas para lucro em 2017 e descartar projeções para 2018, diante das dificuldades para se adaptar à era digital.

Maior empresa de educação do mundo, a Pearson disse que vai vender sua participação na Penguin Random House para levantar capital e investir em novas tecnologias. A companhia gerava a maior parte do lucro a partir de livros didáticos e testes.

A Pearson precisa reestruturar seus negócios na América do Norte, principal mercado, onde clientes de educação superior se voltam para alternativas digitais mais baratas ou aluguel de livros, agravando a queda no número de matrículas em meio à melhora da economia.

As ações do grupo britânico despencaram 30 por cento nesta quarta-feira, reduzindo em 1,9 bilhão de libras (2,3 bilhões de dólares) o valor de mercado, após a empresa anunciar que não mais projetaria dividendos para 2017, aumentando a pressão sobre o presidente John Fallon.

"É um momento difícil para empresa, temos que nos mexer com urgência e de modo decisivo", afirmou Fallon.

A empresa, que previu lucro operacional até 19 por cento abaixo do esperado para 2017 e descartou previsão para 2018, disse que agirá mais agressivamente em e-books e no empréstimo de livros, reduzindo os preços para impulsionar as vendas.

Fallon, que atua na companhia há 20 anos, disse aceitar a responsabilidade por falhar em prever mudanças de mercado, mas que seu trabalho era preparar a empresa para mudanças no mercado para a era digital.

"Sou responsável e aceito totalmente essa responsabilidade", disse. "Mas também sou responsável por guiar a empresa por um período muito mais difícil que qualquer um poderia imaginar".

A Pearson, que vendeu o jornal Financial Times e a fatia na revista The Economist em 2015 para focar em educação, tem sido afetada pela recuperação da economia norte-americana, que levou ao aumento da empregabilidade e redução do número de matrículas.   Continuação...