Peru faz primeira prisão de ex-funcionário de governo acusado de receber propina da Odebrecht

sábado, 21 de janeiro de 2017 11:59 BRST
 

LIMA (Reuters) - Autoridades peruanas prenderam um funcionário do ex-presidente Alan García acusado de receber propina da Odebrecht para ganhar um contrato de construção do metrô de Lima, informou neste sábado o Ministério Público.

Foi a primeira prisão no Peru envolvendo um caso de corrupção contra a Odebrecht.

O Ministério Público, por meio da rede social Twitter, informou que a prisão de Edwin Luyo, que presidiu a comissão que fez a licitação do metrô em 2009, ocorreu como parte de um acordo preliminar da empresa para colaborar com a justiça peruana.

A Odebrecht, a maior construtora da América Latina, está sendo investigada por corrupção em 12 países da região.

A prisão ocorreu na noite de sexta-feira após uma operação policial, que também invadiu a casa do ex-ministro das Comunicações do governo de García, deputado Jorge Cuba.

Cuba não foi encontrado durante a operação.

O promotor Hamilton Castro, que investiga Odebrecht, disse que foram pagos 7 milhões de dólares para ganhar a obra da linha 1 do metrô de Lima.