Índice de Xangai atinge máxima de 2 semanas, incerteza com EUA pesa

terça-feira, 24 de janeiro de 2017 07:48 BRST
 

SYDNEY/XANGAI (Reuters) - O principal índice acionário da China terminou na máxima de duas semanas nesta terça-feira, mas reduziu parte de seus ganhos anteriores pressionado pelas ações de empresas pequenas.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,01 por cento, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,20 por cento.

O índice ChiNext de start-ups recuou 1,38 por cento. O volume de negócios foi reduzido, com os investidores relutantes em assumir novas posições antes do maior feriado do país.

A confiança também foi afetada por preocupações com a dívida, depois que Pequim informou um déficit fiscal significativamente maior em 2016.

O déficit fiscal foi maior do que o governo havia previsto, já que a segunda maior economia do mundo dependeu de gastos governamentais para estabilizar o crescimento econômico no ano passado, aumentando as preocupações com a crescente dívida da China.

A incerteza que vem dos Estados Unidos uma vez que o foco do presidente norte-americano, Donald Trump, no protecionismo em vez de estímulo fiscal alimenta suspeitas de que sua administração pode se contentar em ganhar vantagem competitiva através de uma moeda mais fraca conteve o restante dos mercados asiáticos.

O índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, tinha alta de 0,37 por cento às 7:43. (horário de Brasília).

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,55 por cento, a 18.787 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,22 por cento, a 22.949 pontos.   Continuação...