Índices europeus recuam com fraqueza de commodities, mas otimismo com fusões limita perdas

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017 15:41 BRST
 

Por Danilo Masoni

MILÃO (Reuters) - Os índices acionários europeus fecharam em queda nesta segunda-feira, pressionados pelas perdas entre as ações relacionadas a commodities e do setor financeiro, embora especulações sobre fusões e aquisições tenham oferecido algum suporte, com a Vodafone entre as maiores altas.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 1,06 por cento, a 1.432 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 1,05 por cento, a 363 pontos.

O recuo do STOXX 600 foi o maior em um dia desde novembro, com o humor entre os investidores afetado pela proibição a viagens adotada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o que aumenta as preocupações com o impacto das políticas dele sobre o comércio e a economia globais.

Mas apesar dessas perdas, o índice ainda tem alta de 0,3 por cento até agora em janeiro, e caminha para o terceiro mês seguido de ganhos.

A Vodafone avançou 1,3 por cento depois que o grupo britânico de telefonia disse que está em negociações para fundir sua unidade indiana com a Idea em um acordo que pode ajudar a conter a forte competição.

Mas o otimismo relacionado a fusões e aquisições foi mais do que compensado pela fraqueza entre as ações de petróleo e gás e mineração, ambas com queda de mais de 2 por cento, depois que o petróleo caiu e o cobre desacelerou abaixo da máxima de oito semanas.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,92 por cento, a 7.118 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,12 por cento, a 11.681 pontos.   Continuação...