Dólar sobe na sessão mas fecha janeiro em queda de 3%, a R$3,15

terça-feira, 31 de janeiro de 2017 17:27 BRST
 

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar subiu quase 1 por cento ante o real no último pregão de janeiro, para o nível de 3,15 reais, após o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, sinalizar que pode rolar apenas parcialmente ou simplesmente não rolar os contratos de swap cambial que vencem em março.

O dólar subiu 0,75 por cento e fechou a 3,1510 reais na venda. Mas no mês de janeiro, a moeda norte-americana acumulou queda de 3,04 por cento. Foi o segundo mês consecutivo de recuo moeda norte-americana, após queda de 4,06 por cento de seu valor.

Na mínima da sessão, a moeda marcou 3,1022 reais e, na máxima, 3,1575 reais. O dólar futuro tinha variação positiva de 0,68 por cento.

"Se o BC não rolar integralmente, os investidores terão que analisar o que farão com a posição aberta que resta, podendo ir a mercado zerar essa posição e gerar pressão compradora de dólar", explicou um operador de câmbio de uma corretora nacional. "A fala acendeu a luz amarela dos investidores."

Em evento em São Paulo, o presidente do BC afirmou que a autoridade pode rolar os estoques de swaps cambiais tradicionais --equivalentes à venda de dólar-- que vencem em março parcialmente ou não rolá-los. Dados do site da instituição mostram que os contratos que vencerão em março somam 6,954 bilhões de dólares.

Ele afirmou ainda que a redução no estoque de swaps cambias traz mais conforto para o BC, mas que "isso não significa que não podemos voltar a diminuir os estoques" no futuro.

"A fala de Ilan deu sustentação às cotações. Acho que a intenção do BC é não deixar o dólar cair muito para não prejudicar o setor exportador", comentou o gerente de câmbio da corretora Fair, Mário Battistel.

Além de Ilan, o dólar também ganhou mais força de alta após a formação da taxa Ptax de final de mês, no começo da tarde.   Continuação...