ENTREVISTA-Caixa Seguridade tirou IPO da pauta, diz presidente

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017 17:56 BRST
 

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Uma das ofertas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês) mais aguardadas do mercado brasileiro para o início do ano, a da Caixa Seguridade, saiu dos planos de curto prazo e pode não acontecer mais em 2017, segundo o presidente da companhia.

"O IPO não está mais na nossa pauta", disse à Reuters o presidente da Caixa Seguridade, Raphael Rezende Neto.

Segundo o executivo, o foco agora é deixar a empresa, que reúne as participações da Caixa Econômica Federal nos negócios de seguros e previdência, mais preparada para um novo ciclo de crescimento.

Além disso, Rezende Neto afirmou que conversas para uma possível renovação do contrato de exclusividade para venda de seguros da Caixa com os sócios franceses da CNP Assurances, que termina em 2021, também deixaram de ser assunto de curto prazo.

"Nada disso é prioridade agora, o foco é melhorar a companhia", disse o executivo, ele mesmo um ex-vice-presidente da Caixa e que assumiu a Caixa Seguridade em junho passado.

Nos últimos anos, Caixa e CNP Assurances negociaram uma renovação do contrato por mais 20 anos, mas as conversas não prosperaram. As negociações vieram a público durante a primeira tentativa da Caixa Seguridade de vender ações no mercado, em 2015, adiada devido a condições adversas do mercado. A tentativa de retomar a operação fracassou e a oferta foi cancelada.

A Caixa Econômica contava com recursos da venda de parte do negócio para reforçar seu capital e evitar ter que receber um aporte de capital do governo federal nos próximos anos.

As declarações de Rezende Neto vão na contramão do que o presidente da Caixa Econômica, Gilberto Occhi, disse em novembro, que o banco estatal pretendia acertar no curto prazo contrato de assessoria financeira com bancos para o IPO da Caixa Seguridade. A expectativa de fontes do mercado era de que a Caixa poderia levantar cerca de 7,5 bilhões de reais com o IPO da Caixa Seguridade.   Continuação...