7 de Fevereiro de 2017 / às 10:37 / 7 meses atrás

Reservas cambiais da China vão abaixo de US$3 trilhões pela 1ª vez em quase 6 anos

Bandeira chinesa em frente ao Grande Salão do Povo, em Pequim. 29/10/2015 REUTERS/Jason Lee

PEQUIM (Reuters) - As reservas cambiais da China caíram inesperadamente em janeiro abaixo da marca de 3 trilhões de dólares pela primeira vez em quase seis anos, embora controles regulatórios mais fortes pareçam estar conseguindo algum avanço em desacelerar a saída de capital.

A China adotou uma série de medidas nos últimos meses para dificultar a saída de dinheiro do país e reafirmar um controle mais firme sobre a moeda, mesmo depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aumentar as acusações de que Pequim está mantendo o iuan desvalorizado.

As reservas caíram 12,3 bilhões de dólares em janeiro, para 2,998 trilhões, contra uma queda de 41 bilhões de dólares em dezembro.

Economistas consultados pela Reuters projetavam que as reservas cambiais caíram cerca de 10,5 bilhões, para 3 trilhões de dólares.

Embora a marca de 3 trilhões de dólares não seja considerada um nível decisivo para Pequim, existem preocupações nos mercados financeiros globais sobre a velocidade com que o país está esgotando sua munição para defender a moeda e conter a saída de capital.

Alguns analistas temem que um esgotamento pesado e sustentado das reservas possa levar Pequim a desvalorizar a moeda.

“Com as reservas cambiais abaixo de 3 trilhões de dólares, podemos esperar que os controles de capital, bem como o aperto da liquidez do iuan, continuem, uma vez que as autoridades tentam evitar uma queda maior”, disse o economista Chester Liaw, do Forecast Pte Ltd, referindo-se à alta inesperada da taxa de juros de curto prazo anunciada na sexta-feira.

O iuan caiu 6,6 por cento contra o dólar em 2016, maior queda anual desde 1994.

Em 2016 como um todo, a China utilizou quase 320 bilhões de dólares em reservas, depois de um recorde de 513 bilhões em 2015.

O iuan deu um respiro nas últimas semanas com o recuo do dólar, ajudando também pelas recentes medidas para conter a saída de capital.

Mas analistas preveem que a pressão de baixa sobre o iuan será retomada, especialmente se os EUA continuarem a elevar a taxa de juros, o que deve provocar nova fuga de capital de economias emergentes como a China e tentar seus controles de capital.

A queda nas reservas em janeiro deveu-se principalmente a intervenções do banco central ao venDer moeda estrangeira e comprar iuan, afirmou em comunicado o órgão regulador cambial da China, acrescentando que as mudanças nas reservas do país são normais e que o mercado não deve dar tanta atenção ao nível de 3 trilhões de dólares.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below