Resultados de empresas ajudam índices europeus, mas nervosismo político pressiona setor bancário

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017 16:25 BRST
 

MILÃO/LONDRES (Reuters) - As ações europeias avançaram nesta quarta-feira, ajudadas pelos ganhos das empresas, mas as ações dos bancos recuaram para o menor patamar em cinco semanas diante da crescente preocupação com a intensa agenda eleitoral da região neste ano.

O índice STOXX 600 subiu 0,3 por cento depois de uma sessão volátil que viu o índice pan-europeu recuar até 1 por cento, pressionado pelas ações do setor financeiro apontadas como mais sensíveis à incerteza política.

No topo das preocupações dos investidores, está a eleição presidencial francesa, com o temor da forte aparição da candidata de extrema direita, Marine Le Pen, mantendo a dívida do euro e da França pressionada na quarta-feira.

"A pressão sobre as ações financeiras é alta", disse o diretor de investimentos da Anthilia Capital Partners, em Milão, Andrea Cuturi. "De repente, os investidores despertaram para o fato de que será um ano de eleições na Europa. O discurso de Le Pen no domingo foi suficiente para desencadear um clima de risco em toda a região."

Entre as ações bancárias, o papel do francês Natixis registrou a maior perda, com queda de 3,7 por cento, enquanto o alemão Deutsche Bank e o holandês ING também estiveram entre as maiores queda do setor.

Apesar do nervosismo político, uma série de boas atualizações de lucros tem ajudado o índice STOXX, que está estável nesta semana. De acordo com o JPMorgan, mais da metade das empresas STOXX que informaram os resultados até agora superou as estimativas do EPS, com crescimento de 8 por cento em relação ao ano anterior.

O índice FTSEurofirst 300 fechou em alta de 0,16 por cento, a 1.434 pontos.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,04 por cento, a 7.188 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,05 por cento, a 11.543 pontos.   Continuação...