Indústria de biodiesel prevê recuperação em 2017 após recuo em 2016

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017 15:54 BRST
 

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A produção brasileira de biodiesel deverá crescer quase 20 por cento em 2017 ante o ano anterior, com o aumento da mistura no diesel comum e uma esperada recuperação econômica do país, disse à Reuters o diretor-superintendente da União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio), Donizete Tokarski.

A expectativa da indústria é produzir 4,5 bilhões de litros este ano, ante os 3,8 bilhões produzidos em 2016, quando o país registrou recuo de 2,6 por cento, primeira queda anual da produção de biodiesel da história, devido à desaceleração econômica.

"A economia (brasileira) que fez reduzir a produção de biodiesel (em 2016), os produtores não queriam reduzir e estamos preparados para aumentar... a nossa capacidade instalada é muito superior ao que estamos produzindo", afirmou Tokarski.

Segundo os últimos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a capacidade instalada de produção de biodiesel autorizada a operar comercialmente era de 7,3 bilhões de litros por ano, em novembro de 2016.

O crescimento em 2017 terá o impulso do aumento compulsório da mistura do biodiesel no diesel comum.

Atualmente, uma lei prevê o aumento gradual da mistura de biodiesel no diesel, passando dos atuais 7 por cento para 8 por cento em março de 2017, aumentando um ponto porcentual ao ano até chegar a 10 por cento em 2019.

"O ministro de Minas e Energia (Fernando Coelho Filho) nos acenou com uma expectativa muito grande para o setor para anteciparmos o B9 (9 por cento de mistura) em julho... para que a gente possa dar um salto na produção e atingir em torno de 4,5 bilhões de litros de produção no fim do ano", afirmou Tokarski.

O representante da Ubrabio ponderou, no entanto, que o volume de produção previsto conta com uma recuperação econômica.   Continuação...