ENTREVISTA-Energia eólica atrai investidor no Brasil mesmo com crise, diz Vestas

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017 17:37 BRST
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - Os investidores seguem interessados em construir ou comprar usinas de energia eólica no Brasil mesmo em meio à maior recessão do país em décadas e após o cancelamento no final do ano passado de um leilão que contrataria novos projetos, disse à Reuters o presidente no país da fabricante dinamarquesa de equipamentos eólicos Vestas (VWS.CO: Cotações).

Com a menor demanda por eletricidade decorrente da crise, que levou o governo a cancelar o leilão agendado para dezembro, deverá haver mais movimentações de fusões e aquisições no setor de renováveis, como a compra no mês passado de um complexo eólico da Renova Energia pela AES Tietê, explicou Rogério Zampronha, que comanda a Vestas Brasil desde o final de 2015. [nL1N1F30DJ]

"Se você olhar o mercado de M&A (fusões e aquisições) está bastante ativo, deve ter mais anúncios nas próximas semanas, tem mais para acontecer... o mercado, apesar de não ter leilão, está super ativo", disse o executivo.

Ele afirmou que a Vestas chegou a conversar com diversos empreendedores antes do cancelamento do certame de dezembro e que havia um forte interesse de empresas em viabilizar novos projetos.

"Houve uma atividade intensa, intensa mesmo. Investidores brasileiros que conseguiram captar bastante dinheiro lá fora... estrangeiras também. Teve empresa que colocou 20 pessoas antes do leilão para deixar tudo pronto. Houve uma atividade frenética, como em todo leilão... não ia faltar investidor", disse Zampronha.

O Brasil foi o oitavo maior mercado mundial da Vestas em 2016, segundo o executivo, com 371 megawatts em turbinas vendidas, um número próximo dos cerca de 360 megawatts em 2015.

Ele estima que a Vestas tenha conquistado cerca de 41 por cento dos pedidos de turbinas fechados por investidores de usinas eólicas no Brasil em 2016.

"Nossa perspectiva média de market share em um mercado com seis fabricantes como temos aqui seria de um share um pouco menor que esse, 40 por cento é forte. Foi um ponto fora da curva, mas foi muito bom... mesmo em um ambiente complexo", disse.   Continuação...