Vendas no varejo têm perdas recordes em 2016 diante da recessão econômica

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017 10:09 BRST
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - O varejo do Brasil fechou 2016 com recorde de perdas diante de quedas acentuadas e generalizadas das vendas, com destaque para supermercados, movimento marcado por demanda fraca e recessão econômica que não deve apresentar recuperação em breve.

No ano passado, as vendas varejistas recuaram 6,2 por cento sobre 2015, quando o setor terminou com queda de 4,3 por cento. É o pior resultado da série histórica iniciada em 2001, marcando dois anos seguidos de perdas, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira.

O setor de varejo do país vem enfrentando anos de recessão e confiança abalada, com o desemprego em alta afetando com força a demanda. Só em dezembro, a atividade apresentou recuo de 2,1 por cento sobre novembro, pior resultado desde janeiro, com queda de 4,9 por cento ante o mesmo mês do ano anterior.

"Sobre 2017, podemos dizer que o cenário doméstico melhorou em parte pela inflação que já começou a ceder e os juros que estão diminuindo, mas o mercado de trabalho, que tem um peso relevante para a demanda, continua fragilizado", destacou a economista do IBGE Isabella Nunes.

Pesquisa da Reuters apontava expectativa de recuo de 1,95 por cento das vendas do varejo na comparação mensal e de 4,50 por cento sobre um ano antes.

SUPERMERCADOS

Em 2016, as oito atividades que compõem o varejo restrito apresentaram recuo, sendo que seis tiveram as quedas mais fortes de suas séries históricas   Continuação...