Venda de combustíveis deve reagir em 2017 após duas quedas anuais, prevê ANP

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017 14:47 BRST
 

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As vendas de combustíveis neste ano deverão ter uma recuperação, como resultado de uma esperada reativação da economia, após caírem em 2016 pelo segundo ano consecutivo, informou nesta quinta-feira o diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Décio Oddone.

Em 2016, as vendas caíram 4,5 por cento ante o ano anterior, para 135,436 bilhões de litros, pressionadas por uma retração do consumo de diesel e de etanol hidratado, segundo explicou o diretor-geral.

"Esperamos que já em 2017 tenhamos uma retomada do mercado de combustíveis, um mercado crescente, e crescimento que virá em maior intensidade a partir do ano que vem", disse Oddone, a jornalistas, após participar de um seminário de avaliação do comportamento do mercado no ano passado.

A retração das vendas em 2016 e em 2015 ocorreu após um longo período de crescimento do mercado.

As vendas de diesel B, já misturado com biodiesel, principal combustível comercializado no país, caíram 5,1 por cento, para 54,279 bilhões de litros. A queda ocorreu como resultado da desaceleração da economia brasileira, segundo a superintendente de abastecimento da ANP, Maria Inês Souza.

Já as vendas de gasolina C, com adição de etanol, subiram 4,6 por cento, para 43,02 bilhões de litros, enquanto as vendas do etanol hidratado, seu concorrente nas bombas, recuaram 18,3 por cento para 14,586 bilhões de litros.

INFLUÊNCIA DAS IMPORTAÇÕES   Continuação...