Recuo do dólar paralisa vendas de soja no país

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 16:51 BRST
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar, que caminha para fechar a nona semana consecutiva de queda, provoca uma virtual paralisação dos negócios com soja no país, apesar da enxurrada de grãos que chega ao mercado devido à colheita em diversas regiões do Brasil, que deverá colher uma safra recorde acima de 100 milhões de toneladas.

Com oscilações pouco relevantes nas cotações internacionais do grão, produtores observam a oscilação cambial para avaliar o fechamento de novos negócios.

"As tradings querem comprar, porém preços não atraem os vendedores", disse o assessor comercial Samir Rosa, que atua junto a produtores rurais da região de Rondópolis (MT).

Segundo ele, as ofertas atualmente giram em torno de 64,50 reais por saca, enquanto produtores pedem pelo menos 1,50 real a mais.

Levantamento da consultoria AgRural estima que a comercialização da safra brasileira, até o fim de janeiro, tenha alcançado 41 por cento do total esperado, avanço de apenas 4 pontos percentuais ante dezembro, e bem atrás de janeiro de 2016 (50 por cento) e da média de cinco anos (49 por cento).

Apesar de o levantamento de fevereiro ainda não estar concluído, dados preliminares mostram que a estagnação no mercado permanece em fevereiro, segundo a AgRural.

Ao mesmo tempo, a colheita tem avançado em bom ritmo no país, especialmente em Mato Grosso. No maior Estado produtor brasileiro, apesar de dificuldades com a chuva, o ritmo dos trabalhos é bastante avançado historicamente.

"Seria (um momento de pressão de venda, devido à grande oferta), se os preços estivessem ajudando. Mas o produtor olha para trás, para os preços que fechou antes, e não se anima a vender agora", disse a analista da AgRural Daniele Siqueira.   Continuação...