Brasil reforça medidas contra gripe aviária e mira maior exportação de frango

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017 13:45 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil tem possibilidade de ocupar espaço de exportadores de carne de frango afetados por casos de gripe aviária, cujas exportações foram suspensas por importadores, disseram representantes da indústria e do governo nesta terça-feira, em evento para instituir medidas mais duras para prevenir a Influenza Aviária no país.

Segundo o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, o país precisa fazer a "lição de casa" para reforçar seu controle sanitário e continuar sendo livre de gripe aviária, além de realizar um trabalho comercial para ampliar suas vendas externas.

O Brasil, maior exportador global de carne de frango, tem um grande mercado para ocupar, após os mais recentes surtos de aviária em importantes exportadores.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, uma demanda global de cerca de 700 mil toneladas de carne de frango ao ano está sem fornecedores atualmente, após países decretarem embargos a nações atingidas pela doença ou por queda na produção doméstica.

"Não significa que o Brasil vai capturar tudo... Mas a gente sai ganhando. O Brasil ganhou em cima da crise. Somos uma ilha de sanidade", disse Turra, após um encontro com Blairo, na sede da ABPA em São Paulo.

O comércio internacional de carne de frango deverá movimentar 11,4 milhões de toneladas de carne de frango em 2017, com o Brasil liderando o ranking dos exportadores, com 4,4 milhões de toneladas, segundo projeções do USDA.

Países de diversas partes do mundo, principalmente na Europa e na Ásia, têm registrado casos de gripe aviária nos últimos meses, levando ao abate de milhões de aves e a interrupções no comércio internacional de carne de frango.

Em janeiro, a exportação brasileira de carne de frango já foi beneficiada pelos casos de gripe aviária em outros países, informou a ABPA recentemente.

Questionados nesta terça-feira sobre o impacto para a exportações brasileiras neste ano, representantes da ABPA disseram que ainda é prematuro fazer uma estimativa.   Continuação...