IPCA-15 acelera alta a 0,54% em fevereiro com educação, mas se aproxima de 5% em 12 meses

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017 09:48 BRT
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - A prévia da inflação oficial do Brasil mostrou maior pressão do que o esperado em fevereiro, mas ainda assim atingiu o menor nível para o mês em cinco anos e se aproximou de 5 por cento em 12 meses, dando munição para que o Banco Central continue reduzindo de maneira agressiva a taxa básica de juros.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) subiu 0,54 por cento neste mês, acelerando sobre a alta de 0,31 por cento do primeiro mês do ano num movimento sazonal provocado pelos preços de educação, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira.

No acumulado em 12 meses até fevereiro, o IPCA-15 subiu 5,02 por cento, contra 5,94 por cento em janeiro e ainda mais perto do centro da meta oficial --4,5 por cento pelo IPCA, com tolerância de 1,5 ponto percentual. É o menor nível desde junho de 2012, quando o IPCA-15 marcou 5 por cento.

Os resultados ficaram um pouco acima da expectativa em pesquisa da Reuters, com alta de 0,50 por cento no mês e de 4,99 por cento em 12 meses.

Após o fechamento dos mercados nesta sessão, o BC divulga sua decisão sobre a Selic. O resultado do IPCA-15 reforça a visão em pesquisa Reuters de redução de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros, o que a levaria a 12,25 por cento ao ano, menor nível em dois anos.

O IBGE explicou que em fevereiro o grupo Educação foi o principal responsável pelo resultado do indicador após acelerar a alta a 5,17 por cento, sobre 0,18 por cento em janeiro. Com isso, o impacto foi de 0,24 ponto percentual no índice todo.

"A alta no grupo Educação reflete os reajustes habitualmente praticados no início do ano letivo, em especial os aumentos nas mensalidades dos cursos regulares", explicou o IBGE em nota, informando que os preços dos cursos regulares aumentaram 6,94 por cento, maior impacto individual (0,21 p.p.) no IPCA-15.

As tarifas de ônibus urbanos e intermunicipais, com altas respectivas de 3,24 e 3,84 por cento, também ajudaram a pressionar o resultado do IPCA-15 neste mês.   Continuação...