Venda de ativos da Vale em 2017 vai se limitar a fertilizante, carvão e navios

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017 12:30 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A mineradora Vale terá um programa de desinvestimentos muito menor em 2017 do que nos anos anteriores, limitando-se à conclusão da venda de participações em ativos de carvão em Moçambique e de fertilizantes, no Brasil, além de navios, disse nesta quinta-feira o presidente da companhia, Murilo Ferreira.

No ano passado, a maior produtora global de minério de ferro chegou a considerar a venda de ativos essenciais, como forma de reduzir sua dívida. No entanto, o cenário de preços de sua principal commodity melhorou e o plano foi suspenso.

No caso da venda participações na mina de carvão de Moatize e no Corredor Logístico de Nacala (CLN), em Moçambique, à japonesa Mitsui, cuja negociação teve início em 2014, o presidente afirmou que está em fase avançada.

O acordo prevê financiamentos de 2,7 bilhões de dólares por meio de "project finance" para o CLN.

"O project finance do carvão vai muito bem, terminamos todas as discussões contratuais... eu estarei no Japão em 21 de março assinando documento... Acredito que o desembolso ocorrerá no mais tardar durante o curso do segundo trimestre", afirmou Ferreira.

No caso dos ativos de fertilizantes, a empresa busca vender ativos de nitrogenados e fosfatados em Cubatão (SP), conforme já havia anunciado no ano passado.

(Por Marta Nogueira)