Greve em mina de cobre Escondida, no Chile, avança para 3ª semana

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017 13:40 BRT
 

SANTIAGO (Reuters) - A greve dos trabalhadores de Escondida, a maior mina de cobre do mundo, avançava no Chile nesta segunda-feira para a sua terceira semana, em meio a queixas de falta de pagamento de salários, o que acentuou a agitação dos grevistas.

Após o fracasso na semana passada de uma tentativa de reavivar o diálogo entre o sindicato e a mineradora BHP Billiton, os embarques da mina seguem com força maior, dando sustentação aos preços do metal no mercado global.

A greve tem sido marcada por acusações mútuas, dificultando o retorno à mesa de negociações.

"Não chegou até nós qualquer informação, declaração ou convite, assim continuamos atentos à situação", disse à Reuters Carlos Allendes, porta-voz do sindicato, que negou versões da imprensa sobre uma possível retomada das negociações.

(Reportagem de Fabian Andres Cambero)