Governo espera liberar transporte de soja na BR-163 em 2 dias, mas vai controlar fluxo

quinta-feira, 2 de março de 2017 19:21 BRT
 

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA (Reuters) - O governo federal espera liberar em cerca de dois dias o trânsito de caminhões de soja nos trechos não pavimentados da BR-163 no Pará, no sentido dos portos da região Norte, mas vai controlar o fluxo dos veículos para que os trabalhos emergenciais para garantir a tráfego na pista não sejam comprometidos, informou nesta quinta-feira o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella.

Após reunião em Brasília com representantes de outros órgãos de governo e exportadores de soja, Quintella disse que a pista no sentido sul já está liberada e que a fila de cerca de 1,2 mil caminhões do sentido norte começaria a ser liberada no fim da tarde desta quinta-feira.

O governo, porém, vai controlar o fluxo de caminhões para que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) consiga executar obras emergenciais, como a aplicação de camadas de brita nos locais onde há atoleiros.

A ideia é abrir o tráfego por algumas horas e depois segurar por mais algumas horas para que os serviços não sejam comprometidos, evitando que os caminhões voltem a atolar. Com os problemas na rota para o norte, muitas companhias estão amargando prejuízos e redirecionando seus embarques para os portos ao sul do país.

Congestionamentos de milhares de veículos impedidos de trafegar pelos atoleiros na BR-163, devido às intensas chuvas, afetaram o escoamento de soja de Mato Grosso, principal Estado produtor do país, na fase inicial da colheita.

Além das obras emergenciais, o governo segue com os trabalhos para asfaltar o trecho de terra. "Esperamos pavimentar 60 quilômetros este ano e mais 40 em 2018", disse Quintella.

PREJUÍZOS   Continuação...