Retração nas vendas reduz escala de navios para exportação de soja do Brasil

segunda-feira, 6 de março de 2017 12:35 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - A escala de navios previstos para embarcar soja nos portos brasileiros em março e no início de abril está 41 por cento abaixo do registrado um ano atrás, apesar de uma safra recorde sendo colhida no país, em decorrência da retração dos produtores em venderem suas colheitas.

Levantamento da Reuters com dados da agência marítima Williams mostra que há no momento navios escalados para embarques de 6,26 milhões de toneladas de soja, ante 10,64 milhões de toneladas da escala de 12 meses atrás.

O ritmo de embarques do Brasil é fator considerado no mercado internacional, uma vez que o país é o maior exportador global de soja.

Analistas disseram que um dos principais motivos para o atual "line-up" de navios é a baixa comercialização por parte dos agricultores, que têm reclamado dos baixos preços do grão em meio a uma valorização do real ante o dólar e a valores pouco atrativos no mercado internacional, o que afeta a formação das cotações na moeda brasileira --no porto de Paranaguá (PR), estão em níveis registrados em 2015, em termos reais.

As vendas de produtores da safra 2016/17 atingem 45 por cento do total, ante 54 por cento neste mesmo estágio da safra 2015/16 e 50 por cento da média histórica, segundo levantamento mais recente da consultoria França Júnior.

"As tradings não estão conseguindo originar direito e, com isso, estão evitando fazer novas nomeações (de navios) no escuro", disse o analista Flávio França Júnior.

Além disso, o Brasil realizou fortes embarques nos dois primeiros meses do ano, com a ajuda de uma largada rápida da colheita da oleaginosa.

"Isso (retração das vendas de produtores) pesa bastante... mas olhe janeiro e fevereiro, adiantamos já uma parte (dos embarques", disse o analista de inteligência de mercado de uma trading estrangeira, que pediu anonimato.   Continuação...

 
Vista geral do complexo de Carajás
07/02/2013
REUTERS/Paulo Whitaker