15 de Março de 2017 / às 15:00 / 5 meses atrás

Mina de cobre Escondida no Chile planeja reiniciar operações

SANTIAGO (Reuters) - A mina de cobre Escondida no Chile planeja reiniciar as operações depois que trabalhadores em greve rejeitaram novamente um convite do proprietário controlador BHP Billiton para retornar às negociações, disse um executivo a repórteres no fim do dia de terça-feira.

A maior mina de cobre do mundo vai retomar o trabalho em duas áreas que não estão relacionadas com as negociações atuais, disse o presidente da mina Escondida, Marcelo Castillo, em uma entrevista coletiva na cidade de Antofagasta.

"Esperamos que, de alguma forma, surjam oportunidades de diálogo... mas com a postura (do sindicato) que vimos (na segunda-feira) e que todos vocês viram, é difícil poder esperar uma conversa no curto prazo", disse Castillo.

Segundo a lei chilena, a mina foi autorizada a contratar trabalhadores temporários 15 dias após a greve começar em 9 de fevereiro, mas havia dito que esperaria por 30 dias para mostrar seu compromisso com o diálogo.

Em resposta à declaração da BHP na terça-feira, o sindicato disse que estava adotando uma abordagem equilibrada. "Estamos calmos, e estamos revendo as declarações (da empresa) com calma", disse um porta-voz da união à Reuters.

Escondida produziu um pouco mais de 1 milhão de toneladas de cobre em 2016, tornando-se a maior mina de cobre do mundo. A Rio Tinto e empresas japonesas como Mitsubishi Corp detêm participações minoritárias na mina.

Por Fabian Cambero, reportagem adicional de Gram Slattery

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below