Exportação de suco de laranja do Brasil recua 16% no acumulado da safra 2016/17

quarta-feira, 15 de março de 2017 13:01 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações de suco de laranja do Brasil, maior exportador global da commodity, acumulam queda acentuada nos oito primeiros meses do ano comercial 2016/17, com as importações da União Europeia, principal comprador, pesando nos embarques brasileiros.

A CitrusBR, associação que reúne os exportadores, informou nesta quarta-feira que o volume de suco congelado concentrado (equivalente 66º Brix) fechou em baixa de 16 por cento entre julho de 2016 e fevereiro de 2017, para 605.498 toneladas, em relação ao mesmo período do ano anterior.

Em receita, houve uma queda menor, com preços mais altos em cenário de oferta escassa de suco no Brasil --os estoques brasileiros atingiram o menor nível da história, após quebras de safra.

As divisas geradas com as exportações somaram 1,091 bilhão de dólares de julho a fevereiro, recuo de 7 por cento ante o mesmo período do ano anterior.

"Observando as exportações para os principais destinos, percebemos que a União Europeia puxou os números para baixo", afirmou o diretor-executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto, em nota.

Os volumes para a União Europeia, principal destino do suco de laranja brasileiro, com 66,7 por cento de participação, somaram 380.199 toneladas, queda de 24 por cento no período, segundo a CitrusBR. Em receita, o bloco econômico fechou o período com compras de 686,5 milhões de dólares, recuo de 16 por cento.

Por outro lado, os Estados Unidos ampliaram em 5 por cento as importações, para 133.856 toneladas, com aumento de 23 por cento na receita, a 244,1 milhões de dólares. "Contudo, o cenário continua preocupante para aquele mercado. Os últimos dados divulgados pela Nielsen mostram novo recuo no consumo de suco de laranja no país...", disse nota da CitrusBR.

Do lado da oferta, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) voltou a reduzir a estimativa para a safra de laranjas na Flórida, principal região produtora daquele país, para 67 milhões de caixas de 40,8 kg.

A CitrusBR apontou ainda dois cenários diferentes na Ásia, destino menos importante das exportações brasileiras.   Continuação...