Dólar cai 1,83% e vai a R$3,11, após Fed não sinalizar de alta adicional de juro

quarta-feira, 15 de março de 2017 17:14 BRT
 

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar despencou quase 2 por cento, maior queda em mais de seis meses e de volta ao patamar de 3,11 reais, depois de o Federal Reserve, banco central norte-americano, elevar a taxa de juros do país como esperado e sinalizar que devem ocorrer apenas mais duas altas ao longo deste ano, desmontando as previsões mais pessimistas sobre número maior de avanços.

O dólar recuou 1,83 por cento, a 3,1112 reais na venda, maior queda desde 6 de setembro do ano passado, quando despencou 2,25 por cento.

Na mínima do dia, a moeda norte-americana foi a 3,1050 reais. O dólar futuro caía cerca de 1,90 por cento no final desta tarde.

"O Fed manteve a perspectiva de altas graduais dos juros e isso fez com que o dólar queimasse a gordura que acumulou na expectativa de que poderia haver sinalização de mais altas", afirmou o diretor de câmbio do banco Paulista, Tarcísio Rodrigues.

O Fed elevou os juros pela segunda vez em três meses, para a faixa entre 0,75 e 1 por cento, movimento amplamente esperado e impulsionado pelo crescimento econômico estável, ganhos de emprego fortes e confiança de que a inflação está subindo para o alvo do banco central norte-americano.

Entretanto, o comitê de política monetária do Fed não indicou qualquer plano de acelerar o ritmo do aperto, reforçando a visão de mais duas altas neste ano. Embora a inflação esteja "perto" da meta de 2 por cento, o banco central destacou que a meta é "simétrica", indicando possível disposição para permitir que os preços subam a um ritmo ligeiramente mais rápido.

Juros mais altos nos Estados Unidos podem atrair para a maior economia do mundo recursos aplicados em outros mercados financeiros, como o brasileiro.

"Além da correção do dólar à proteção montada para o encontro do Fed, houve pouco de 'stop loss' por parte de alguns investidores", comentou o operador da mesa de câmbio de uma corretora local.   Continuação...