Supermercados chineses retiram carne brasileira das prateleiras após escândalo

quarta-feira, 22 de março de 2017 09:42 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - Alguns dos maiores supermercados na China retiraram das prateleiras produtos brasileiros de carne bovina e de frango, no primeiro sinal concreto de que o escândalo envolvendo a indústria processadora do Brasil está afetando os negócios em seu principal mercado de exportação.

A medida foi tomada pela Sun Art Retail 6808.HK, maior rede de hipermercados da China, e pelos braços chineses das gigantes globais Wal-Mart (WMT.N: Cotações) e Metro (MEOG.DE: Cotações), dias após a China banir temporariamente as importações de carne brasileira.

Temores sobre a qualidade da carne brasileira surgiram depois que a Polícia Federal deflagrou a operação Carne Fraca, na semana passada, acusando fiscais de receberem subornos para permitir a venda de produtos estragados e contaminados.

Uma porta-voz da Sun Art Retail, que opera 400 hipermercados chineses, disse nesta quarta-feira que a rede recolheu carne fornecida pela BRF (BRFS3.SA: Cotações) e pela JBS (JBSS3.SA: Cotações) de suas prateleiras a partir de segunda-feira. A carne bovina brasileira responde por menos de 10 por cento da oferta da Sun Art Retail, segundo ela.

O Wal-Mart também retirou produtos de carne brasileira de suas lojas, afirmou uma pessoas familiarizada com o assunto. Já a alemã Metro recolheu asas e coxas de frango de suas lojas na China, segundo um gerente da rede, que pediu para não ser identificado porque não estava autorizado a falar com a imprensa.

(Por Dominique Patton)

 
Supermercado da rede Sun Art Retail em Pequim. 09/11/2015 REUTERS/Kim Kyung-Hoon/