Governo estuda mexer em aposentadoria rural e regras de transição para facilitar aprovação da reforma

quinta-feira, 23 de março de 2017 19:23 BRT
 

Por Lisandra Paraguassu e Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - O governo faz as contas para mexer em pelo menos mais dois pontos da reforma da Previdência e facilitar a tramitação na Câmara dos Deputados: a contribuição para a aposentadoria rural e o sistema de transição entre o atual e o novo sistema, dois pontos em que os parlamentares mais insistem por mudanças, disseram à Reuters fontes governistas.

"São os pontos onde mais teve pedidos para mexer", disse uma das fontes. "Estão sendo feitos vários estudos para tentar fechar tudo até a semana que vem."

Técnicos do governo estão analisando o impacto de cada uma das mudanças nos valores finais da reforma para servir de subsídio às propostas que entrarão no relatório final do deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA).

A transição é vista como o mais difícil de mexer.

"Qualquer ponto de corte que se fizer vai ser brusco e vai desagradar alguém", argumentou uma das fontes

Ainda assim, o governo se comprometeu a estudar uma alternativa. De acordo com outra fonte, uma das opções seria alterar, para baixo, a idade a partir da qual a pessoa entraria na regra de transição --50 anos para os homens e 45 anos para as mulheres na proposta original.

Outra possibilidade é fazer um escalonamento dentro do tempo atual, com uma fórmula em que os anos valessem como mais tempo de contribuição.

"Não tem nada fechado ainda. Estão fazendo contas", disse a fonte.   Continuação...

 
Presidente Michel Temer durante reunião sobre reforma da Previdência no Palácio do Planalto, em Brasília
21/02/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino