Bovespa fecha no azul após Câmara dos EUA cancelar votação de projeto de saúde

sexta-feira, 24 de março de 2017 18:15 BRT
 

Por Flavia Bohone

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em alta nesta sexta-feira, após a Câmara dos Deputados dos Estados Unidos cancelar a votação do projeto que altera o sistema de saúde norte-americano, evitando que uma derrota retumbante de Donald Trump colocasse em risco a agenda de reformas econômicas do presidente dos EUA.

O Ibovespa subiu 0,51 por cento, a 63.853 pontos. Na semana, o índice acumulou baixa de 0,55 por cento, contabilizando a terceira semana seguida de perdas. O giro financeiro era de 7,3 bilhões de reais.

O mercado esperava esta votação para avaliar a força de Donald Trump no Congresso para implementar outras promessas de campanha, como cortes de impostos. Mas na iminência de uma derrota, Trump pediu aos líderes republicanos na Câmara dos Deputados que cancelassem a votação.

Investidores estavam preocupados que uma derrota de Trump comprometesse a sua habilidade de levar adiante as prometidas reformas econômicas. Mas alguns analistas e investidores de Wall Street viram no fracasso do projeto de lei um catalisador para o avanço da reforma tributária, em particular, considerada positiva para os mercados.

O cenário político local também favoreceu o tom de cautela visto na maior parte do dia, conforme aumentam os receios de que o governo terá de ceder para conseguir avançar na reforma da Previdência.

Na véspera, fontes disseram à Reuters que o governo estuda mexer nas regras da aposentadoria rural e no sistema de transição entre o atual e o novo sistema para facilitar o trâmite da proposta no Congresso Nacional.

Além disso, a afirmação do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, de que o governo vai aumentar impostos para cumprir a meta de déficit primário também ajudou a tirar fôlego do mercado.

  Continuação...