EXCLUSIVO-Odebrecht avalia listar ações na bolsa, diz executivo

quinta-feira, 30 de março de 2017 17:12 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A holding Odebrecht S.A., um dos principais alvos da operação Lava Jato, pode abrir o capital e listar-se na bolsa de valores após concluir um processo de adequação a padrões mais rígidos de boa conduta corporativa, disse um executivo da companhia.

"Neste ano estamos mais concentrados em reexaminar e reforçar valores que não estavam fortes o suficiente", disse à Reuters Sergio Foguel, membro do conselho de administração da Odebrecht há cerca de 15 anos e desde o ano passado presidente do comitê de conformidade da empresa. "A listagem da holding (em bolsa) pode acontecer depois."

O comitê de conformidade foi criado pela holding para liderar o processo de adesão da companhia a práticas internacionais de boa conduta corporativa, na esteira da operação Lava Jato, que resultou na prisão do então presidente da empresa Marcelo Odebrecht e culminou num acordo de leniência e em acordos de delação premiada de 77 executivos do grupo.

O comitê, que hoje tem 40 pessoas, deve aumentar para cerca de 60 profissionais envolvendo todas as unidades de negócios do grupo até o fim do ano.

Desde então, a companhia tem assumido compromissos com base em referências da Transparência Internacional, do Pacto Global da ONU e do Pró-Ética, parceria do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União com instituições privadas.

A iniciativa da Odebrecht faz parte dos esforços do grupo para recuperar sua reputação atingida por denúncias de pagamento de propina no Brasil e em outros 11 países, com os quais busca acordos para evitar ou desfazer proibições para que ela participe de novas concorrências públicas.

Segundo Foguel, por ter assumido o compromisso de ter "tolerância zero" com corrupção, a Odebrecht está pronta para o cenário em que pode perder contratos em concorrências públicas e comprometer o ritmo de crescimento da empresa no futuro.

"Isso (menor crescimento) pode acontecer", disse o executivo.   Continuação...

 
Sede da Odebrecht em São Paulo, no Brasil
21/12/2016
REUTERS/Paulo Whitaker