Taxa salta a 13,2% em fevereiro e Brasil tem 13,5 milhões de desempregados

sexta-feira, 31 de março de 2017 18:56 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - Com aumento da procura por vagas e corte de postos, a taxa de desemprego no Brasil subiu para novo recorde de 13,2 por cento no trimestre finalizado em fevereiro, com o contigente mais baixo de ocupados desde o início de 2012.

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua mostrou aumento da taxa pela quarta vez seguida a nova máxima da série histórica iniciada em 2012, ante 12,6 por cento nos três meses até janeiro, informou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No mesmo período de 2016, a taxa de desemprego era de 10,2 por cento, o que deixa claro os efeitos da forte recessão enfrentada pelo país. Apesar dos recentes sinais de alguma melhora econômica, o mercado de trabalho ainda deve levar mais tempo para se recuperar.

"Esse trimestre (encerrado em fevereiro) ainda carrega tendência do fim do ano e mostra avanço expressivo da desocupação, combinado com queda na ocupação", explicou o coordenador da pesquisa, Cimar Azeredo.

A expectativa em pesquisa da Reuters era de taxa de desemprego de 13,1 por cento no trimestre até fevereiro, na mediana das projeções.

Segundo o IBGE, o número de trabalhadores sem emprego no período chegou a 13,547 milhões, forte aumento de 30,6 por cento sobre o mesmo período do ano anterior, ou 3,176 milhões de pessoas a mais. No trimestre até janeiro, eram 12,921 milhões de desempregados.

Segundo a Pnad Contínua, a população ocupada recuou 2,0 por cento sobre o mesmo período de 2016, ou 1,788 milhão de pessoas a menos, somando 89.346 milhões de trabalhadores ocupados. Trata-se do menor contigente de pessoas com emprego desde os três meses encerrados em maio de 2012.

Ainda no trimestre até fevereiro, o número de pessoas na força de trabalho, ou seja, aquelas que estão disponíveis para trabalhar, aumentou 1,4 por cento, ou 1,388 milhão de trabalhadores a mais procurando uma colocação.   Continuação...

 
Desempregados preenchem fichas para vagas em São Paulo
08/05/2015
REUTERS/Paulo Whitaker