ANÁLISE-Exportação de petróleo do Brasil saltará em 2017, enfraquecendo cortes da Opep

sexta-feira, 31 de março de 2017 15:16 BRT
 

Por Marta Nogueira e Marcelo Teixeira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil está no caminho de aumentar acentuadamente suas exportações de petróleo neste ano, uma vez que grandes investimentos do passado estão gerando nova produção e a demanda externa pelo óleo mais leve do pré-sal ganha novos compradores, especialmente na China e na Índia.

A produção do país neste ano deverá crescer em 210 mil barris por dia, um aumento inferior apenas ao dos Estados Unidos entre os produtores de fora da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, com a oferta adicional dificultando o esforço liderado pela Opep para elevar os preços por meio de cortes de produção.

As altas na exportação brasileira devem continuar no futuro, à medida que companhias como a Royal Dutch Shell preparam-se para explorar algumas das maiores descobertas dos últimos anos no litoral do oceano Atlântico.

As exportações de petróleo do Brasil em janeiro e fevereiro subiram 65 por cento, ante o mesmo período do ano anterior, para cerca de 86,4 milhões de barris, segundo dados do governo obtidos pela Reuters. Os volumes mensais foram recordes.

A consultoria Wood Mackenzie estima que as exportações deste ano alcançarão quase 1 milhão de barris por dia, ante 798 mil barris por dia no ano passado.

Anos de grandes investimentos que levaram a estatal Petrobras a se tornar a petroleira mais endividada do mundo estão começando a dar retornos. O país espera usar suas vendas de petróleo para ajudar a tirar sua economia de uma recessão de dois anos.

As exportações estão crescendo juntamente com a produção da companhia de petróleos leves, disse à Reuters o gerente-executivo de Marketing e Comercialização da Petrobras, Guilherme França.

"Os óleos do pré-sal são mais leves do que nós originalmente produzíamos... Hoje a gente tem uma demanda maior do que o produto", disse França.   Continuação...