Governo prevê arrecadar ao menos R$8,5 bi com leilões de petróleo e gás em 2017

segunda-feira, 3 de abril de 2017 13:45 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governo federal estima arrecadar ao menos 8,5 bilhões de reais com leilões de áreas de petróleo e gás previstos para 2017, que incluem licitações de reservas no pré-sal, afirmou nesta segunda-feira o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Paulo Pedrosa.

Até 2019, quando outros leilões vão ocorrer, a expectativa é de arrecadação de ao menos 24 bilhões de reais, disse Pedrosa a jornalistas após evento no Rio de Janeiro.

Para este ano está prevista a realização de quatro rodadas, entre elas uma de menor porte, conhecida no mercado como "rodadinha", uma para concessão de áreas e duas envolvendo o pré-sal --uma licitação de novas áreas e uma para unitização de áreas.

Os recursos do leilão poderão ajudar o governo a cumprir sua meta fiscal neste ano.

O calendário dos certames para 2018 e 2019 deverá ser definido pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE).

Dessa forma, com mais previsibilidade, o governo espera atrair mais investidores para as rodadas de petróleo e gás, disse Pedrosa.

Ele afirmou ainda que o Ministério da Fazenda participa dos estudos para a licitação e que as estimativas de arrecadação podem ser consideradas conservadoras, uma vez que um tema decisivo para a atratividade dos investidores, a renovação do Repetro, regime aduaneiro especial para importações e exportações do setor de óleo e gás, ainda não foi definida.

"Nossa visão é que estamos trabalhando para melhorar o ambiente de investimento... Ainda não definimos Repetro e preço mínimo (bônus mínimo), isso vai influenciar o leilão e pode aumentar a disposição (dos investidores). A projeção incluiu premissas mais conservadoras", explicou.

Na avaliação do secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, o mercado já começa a olhar de forma diferente e positiva para o Brasil. Como exemplo, ele lembrou leilões de sucesso já realizados pelo governo Temer nas áreas de transmissão de energia e aeroportos.   Continuação...