Fundos de pensão terão outro ano difícil em 2017, diz presidente da Funcesp

terça-feira, 4 de abril de 2017 10:03 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A queda mais rápida da Selic pode fazer os fundos fechados de previdência complementar terem outro ano de rentabilidade baixa em 2017, disse o presidente do maior fundo de pensão patrocinado por empresas privadas do país, a Funcesp.

"No conjunto, os fundos fechados podem ficar abaixo da meta atuarial neste ano", disse Martin Glogowsky, presidente da Funcesp, que também é o quarto maior fundo de pensão do país, com ativos de 27,5 bilhões de reais no fim de fevereiro.

A meta atuarial é a rentabilidade mínima necessária para que um fundo consiga pagar os benefícios de seus cotistas no longo prazo. No ano passado, com a combinação de juros altos e valorização do mercado acionário, os fundos fechados superaram a meta atuarial após três anos seguidos em baixa.

Para este ano, a meta atuarial da Funcesp, que administra fundos de empregados de empresas de energia elétrica, incluindo Cesp, CPFL e Eletropaulo, é de cerca de 11 por cento. Segundo o executivo, apesar da queda da Selic, a Funcesp vai conseguir atingir a meta atuarial neste ano.

Cerca de 85 por cento dos ativos administrados pelo Funcesp estão em títulos do governo, que têm como um dos principais métricas de rentabilidade a taxa Selic, hoje em 12,25 por cento ao ano. A maior parte dos papéis, segundo Glogowsky, está em títulos pré-fixados.

O último boletim Focus do Banco Central aponta previsão média do mercado para Selic de 8,75 por cento em dezembro.

Segundo Glogowsky, a administração da Funcesp já tem nos últimos seis meses feito movimentos táticos, reduzindo levemente a exposição a papéis do governo, ao mesmo tempo em que tem olhado para fundos multimercado e o mercado acionário.

"É o tipo de movimento que podemos fazer", disse ele, observando que, devido ao perfil 'maduro' dos fundos administrados, a instituição tem que dar atenção à rentabilidade, mas não pode se descuidar da liquidez.   Continuação...