Inflação desacelera em março a 0,25% e dá sinal verde para BC reduzir mais os juros

sexta-feira, 7 de abril de 2017 09:51 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - Os preços de transportes caíram e a inflação oficial do Brasil perdeu ainda mais força em março, encostando na meta do governo e deixando o caminho aberto para o Banco Central intensificar o afrouxamento monetário na próxima semana.

Em março, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) desacelerou a alta a 0,25 por cento, de 0,33 por cento em fevereiro, segundo dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essa é a leitura mais baixa para meses de março desde a alta de 0,21 por cento verificada em 2012.

Já no acumulado em 12 meses até o mês passado, o índice registrou avanço de 4,57 por cento, contra 4,76 por cento no mês anterior. Com isso o IPCA fica muito próximo do centro da meta oficial de inflação, que é de 4,5 por cento com margem de 1,5 ponto percentual.

A alta nos 12 meses até março é a mais fraca desde agosto de 2010, quando o IPCA avançou 4,49 por cento.

Os resultados tanto para o mês quanto para o acumulado bateram exatamente com a mediana das expectativas em pesquisa da Reuters.

"A inflação em 2017 está em ladeira abaixo. A inflação representa o momento que vivemos e as pessoas não estão comprando. O consumo é inibido muito pelo desemprego, ambiente econômico e renda menor", disse a economista do IBGE Eulina Nunes, destacando que essa é a primeira vez desde 2012 que o IPCA fica abaixo de 5 por cento por dois meses seguidos.

O dado de março derivou principalmente da queda de 0,86 por cento de Transportes, após os preços subirem 0,24 por cento em fevereiro. O destaque foi a gasolina, uma vez que o preço do litro ficou em média 2,21 por cento mais barato.   Continuação...