Dólar vira e passa e subir ante real após meta de déficit primário maior para 2018

sexta-feira, 7 de abril de 2017 16:22 BRT
 

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar anulou a queda e passou a subir ante o real nesta sexta-feira após o governo anunciar uma meta de déficit primário para 2018 pior do que a esperada o mercado.

Até então, a moeda cedia ante o real influenciada pelo relatório sobre o mercado de trabalho norte-americano que esvaziou as apostas de mais altas de juros além das duas já precificadas pelo mercado para este ano.

Às 16:21, o dólar avançava 0,33 por cento, a 3,1562 reais na venda. Na mínima, pela manhã, atingiu 3,1173 reais. O dólar futuro tinha elevação de 0,21 por cento.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, anunciou que a meta de déficit primário do ano que vem será de 129 bilhões de reais para o governo central (governo federal, Banco Central e Previdência), bem mais do que os 79 bilhões de reais estimados inicialmente para o ano que vem.

"Notícia é mais uma a mostrar a dificuldade do governo em avançar", resumiu um profissional de uma corretora local lembrando dos percalços com a reforma da Previdência e a fraqueza da economia.

Antes da divulgação da nova meta, o dólar já havia perdido força de queda ante o real com declarações do presidente do Federal Reserve de Nova York, William Dudley, de que o banco central dos Estados Unidos pode evitar no futuro subir as taxas de juros ao mesmo tempo em que começa o processo de redução de seu portfólio de títulos, o que provocaria apenas uma pequena pausa nos planos de elevação das taxas.

A trajetória de baixa da moeda até então vinha sendo sustentada pelo relatório do mercado de trabalho norte-americano, que ficou aquém do esperado.

"O relatório do mercado de trabalho tirou força dos falcões que queriam três altas de juros neste ano, mas o mercado não está completamente entusiasmado por causa da cena geopolítica", disse mais cedo um gestor de uma corretora nacional.   Continuação...