Índices da China recuam com regulador agindo para acalmar ânimo com nova zona econômica

segunda-feira, 10 de abril de 2017 07:41 BRT
 

HONG KONG/XANGAI (Reuters) - Os mercados acionários da China recuaram nesta segunda-feira, com os fortes ganhos das companhias que se beneficiarão da nova zona econômica do país sendo ofuscados ​​pela fraqueza em outros setores, depois que o regulador de valores mobiliários agiu para conter os ânimos.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,34 por cento, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,5 por cento.

Dezenas de ações recém-listadas que poderiam emitir bônus em vez de pagar dividendos foram afetadas, recuando no limite permitido de 10 por cento, após o regulador de valores mobiliários do país pedir que essas empresas paguem os investidores com dividendos.

Por outro lado, os investidores, sem se abalar pelos esforços do regulador para conter a febre especulativa, continuaram a buscar as ações relacionadas à nova zona econômica de Xiongan.

Mais de 20 ações relacionadas ao novo plano saltaram 10 por cento pela quarta sessão seguida, com mais participantes buscando esses papéis e vendendo em outros setores.

O restante da região mostrou fraqueza em meio ao aumento dos riscos geopolíticos em torno do Oriente Médio e da Península Coreana, levando os investidores a preferirem as opções seguras como a dívida pública.

O índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, tinha queda de 0,11 por cento às 7:36 (horário de Brasília), recuando pela terceira sessão consecutiva e indo na direção da mínima de três semanas testada na sexta-feira.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,71 por cento, a 18.797 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,02 por cento, a 24.262 pontos.   Continuação...