Justiça dos EUA condena Volkswagen a ficar três anos sob supervisão

sexta-feira, 21 de abril de 2017 13:57 BRT
 

Por Nick Carey

DETROIT (Reuters) - Um juiz federal em Detroit condenou a Volkswagen a três anos de supervisão independente devido ao escândalo de emissões de diesel da montadora alemã como parte de um acordo de 4,3 bilhões de dólares anunciado em janeiro.

"Este é um caso de fraude deliberada e maciça", disse o juiz de distrito Sean Cox, ao aprovar o acordo que exige que a montadora faça reformas significativas. Ele também aprovou formalmente uma multa criminal de 2,8 bilhões de dólares como parte da sentença.

"Este é um caso muito sério e muito preocupante envolvendo uma empresa icônica de automóveis", acrescentou Cox. "Eu simplesmente não posso acreditar que VW esteja na situação em que se encontra hoje."

Além de aceitar o acordo da VW com o governo dos EUA, Cox rejeitou chamadas separadas de advogados representando clientes VW individuais por indenizações. Nenhuma das partes lesadas falou no tribunal, embora fossem convidadas a fazê-lo pelo juiz.

A revelação de setembro de 2015 que a Volks fraudou testes de emissões por pelo menos seis anos levou à demissão de seu presidente-executivo, danificou a reputação da empresa em todo o mundo e resultou em maciças multas e indenizações.

A montadora alemã se declarou culpada em março de fraude, obstrução de justiça e falsificação de declarações após admitir a instalação de software secreto em 580 mil veículos dos EUA.

Falando em nome da Volkswagen, o advogado-geral Manfred Doess disse que a empresa "lamenta profundamente o comportamento que deu origem a este caso".

Na audiência de condenação, um promotor federal confirmou que o governo planeja nomear o ex-Procurador Geral Adjunto dos EUA, Larry Thompson, para servir como monitor independente.   Continuação...