J&J, Novartis e Takeda negociam compra da Hypermarcas, dizem fontes

segunda-feira, 24 de abril de 2017 17:47 BRT
 

Por Tatiana Bautzer e Guillermo Parra-Bernal

SÃO PAULO (Reuters) - Johnson & Johnson (JNJ.N: Cotações), Novartis (NOVN.S: Cotações) e Takeda Pharmaceutical (4502.T: Cotações) estão em negociações com o bloco de controle da Hypermarcas (HYPE3.SA: Cotações) para compra da companhia brasileira de medicamentos, disseram duas pessoas familiarizadas com o assunto nesta segunda-feira.

Famílias donas das empresas de investimentos Igarapava Participações e Maiorem SA de CV, que detêm uma participação combinada de 34 por cento da Hypermarcas, contrataram as unidades de bancos de investimento do Bradesco (BBDC4.SA: Cotações) e do Credit Suisse (CSGN.S: Cotações) para assessorar a venda, disseram as fontes.

Nenhuma das empresas interessadas apresentou ofertas ainda, segundo uma das fontes. Uma proposta para comprar a participação da família do bilionário João Alves Queiroz Filho, que controla a Igarapava, e dos investidores mexicanos donos da Maiorem dispararia direitos de tag-along para acionistas minoritários, acrescentaram as fontes.

As ações da Hypermarcas fecharam em alta de 3,8 por cento, 30,35 reais, nesta segunda-feira, enquanto o Ibovespa .BVSP teve ganho de 1 por cento.

Porém, em comunicado ao mercado, a Hypermarcas afirmou que "foi informada por tais acionistas que inexistem quaisquer tratativas relativas à venda de suas participações na companhia".

Os bancos, J&J e Takeda não responderam a pedidos de comentários, e a Novartis se recusou a se manifestar sobre o assunto.

O interesse de gigantes internacionais da indústria farmacêutica do país acontece depois que a Hypermarcas, maior companhia brasileira de medicamentos com ações em bolsa, passou os últimos dois anos concentrando seus negócios no setor de fármacos. A companhia levantou cerca de 1,5 bilhão de dólares com a venda de marcas de cuidados pessoais para Coty (COTY.N: Cotações), Reckitt Benckiser (RB.L: Cotações) e Ontex Group (ONTEX.BR: Cotações).

No domingo, o colunista do jornal O Globo Lauro Jardim informou que os acionistas controladores da Hypermarcas estavam discutindo a venda com investidores estrangeiros, sem identificá-los.

(Reportagem adicional de Bruno Federowski)