Tivit pede registro para IPO com oferta secundária de ações

terça-feira, 25 de abril de 2017 17:59 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de tecnologia Tivit pediu registro para realizar uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), em operação na qual serão vendidas apenas papéis de atuais acionistas da empresa de tecnologia, segundo informações divulgadas nesta terça-feira pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O banco de investimentos Credit Suisse será o coordenador líder da operação, que contará também com as participações dos bancos Itaú BBA, Bradesco BBI, JPMorgan, BTG Pactual e Santander Brasil.

O fundo de investimento APX Brazil e os investidores individuais Luiz Roberto Mattar, Paulo Sergio de Freitas, Tatiana Lorenzi, Carlos Renato Gazaffi, André Guimarães Frederico, Valdinei Cornatione, José Ometto Alberto, Orlando Silva Pereira, Alexandre Ferreira da Silva e Fabiano Droguetti serão vendedores na oferta.

A APX tem 92,64 por cento do capital da Tivit, enquanto Luiz Mattar detém 4,82 por cento. Os 2,54 por cento restantes estão dispersos nas mãos dos demais acionistas.

A Tivit seguirá com operações em sete países da América Latina, incluindo o Brasil, e uma carteira de 3.500 clientes, dos quais 300 entre as 500 maiores empresas do Brasil.

Em novembro, a Reuters publicou que a Tivit iria cindir sua divisão de negócios de atendimento automatizado de clientes no começo de 2018, conhecida como BPO, ficaria com cerca de 20 mil dos 27 mil funcionários do grupo.

O prospecto preliminar da oferta, a Tivit se apresenta como líder em soluções integradas de tecnologia na América Latina, com especialização em serviços de TI, em serviços de gestão de nuvem e uma área que opera a chamada internet das coisas.

A companhia teve receita líquida de 1,41 bilhão de reais em 2016, alta de 5,2 por cento sobre o ano anterior, enquanto o lucro líquido subiu 176 por cento, para 127,2 milhões de reais.   Continuação...