EXCLUSIVO-JBS faz importação inédita de picanha dos EUA e prevê volumes crescentes

terça-feira, 2 de maio de 2017 19:20 BRT
 

Por Roberto Samora e Alonso Soto

SÃO PAULO/BRASÍLIA (Reuters) - A brasileira JBS, maior produtora global de carnes, realizou a primeira importação de carne bovina in natura norte-americana para o Brasil, um pequeno carregamento de 12 toneladas de picanha que vem para desenvolver um mercado premium no qual a companhia vê grande potencial no país.

A importação pela JBS de um tipo de corte que tem um apelo muito maior entre os consumidores brasileiros do que entre norte-americanos pode atingir pelo menos 150 toneladas ao mês, segundo as projeções iniciais da companhia, o equivalente a quase 10 por cento da produção de picanha da companhia no Brasil, e um indicativo do tamanho do nicho de mercado que a empresa busca.

A picanha dos EUA, produzida a partir de um gado com origem europeia, é mais macia por ter mais gordura entremeada do que a produzida com o boi predominante no rebanho nacional, das raças zebuínas, que resulta em uma carne mais "magra".

E vem para atender a um mercado premium, cujo valor agregado viabiliza importações, apesar da tarifa de pouco mais de 10 por cento no Brasil, atualmente o maior exportador global de carne bovina, enquanto os EUA são os maiores produtores.

"O brasileiro gosta de carne, existe potencial de consumo que pode ser explorado... Acho que é um mercado que tende a crescer muito", afirmou à Reuters o diretor técnico da JBS Carnes, Bassem Sami Akl Akl, lembrando que o negócio foi possível após os dois países firmarem, no ano passado, um acordo bilateral que permite também a exportação de carne brasileira in natura aos EUA.

Se a demanda brasileira pelo produto for boa neste primeiro momento, a importação da JBS poderia atingir até 200 toneladas por mês. A título de comparação, a JBS produz no Brasil 1.700 toneladas mensais de picanha.

"No momento em que você disponibiliza, está oferecendo mais opção. Vai ter quem se disponha a pagar um pouco mais, em detrimento de uma (picanha) nacional", declarou Bassem.

A importação de carne bovina in natura dos EUA, que passou a ser possível por qualquer empresa após o acordo de equivalência sanitária no ano passado, tem uma facilidade comercial para a JBS pelo fato de a companhia ter grande operação na América do Norte.   Continuação...

 
Sede da JBS em Lapa, no Paraná
21 de março de 2017. REUTERS/Ueslei Marcelino