3 de Maio de 2017 / às 18:35 / 4 meses atrás

Dólar tem leves oscilações ante real à espera de votação da Previdência e após decisão do Fed

Notas de dólares dos Estados Unidos 26/03/2015Gary Cameron/File Photo

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar operava com leves oscilações ante o real nesta quarta-feira em meio à perspectiva de que o governo conseguirá aprovar a reforma da Previdência em comissão especial da Câmara dos Deputados e após o Federal Reserve, banco central norte-americano, ter mantido o juro inalterado como previsto.

Às 15:32, o dólar avançava 0,05 por cento, a 3,1550 reais na venda, depois de oscilar entre 3,1414 reais na mínima e 3,1632 reais na máxima do dia. O dólar futuro tinha leve baixa de 0,02 por cento.

"A perspectiva de que o governo vai conseguir aprovar o texto está diferenciando o real do exterior. O mercado vai olhar o placar da votação. Um bom indício será se o governo conseguir mais de dois terços", afirmou o analista econômico da gestora Rio Gestão, Bernard Gonin.

O número mínimo para aprovação da PEC na Câmara é de 308 votos. O governo já conta com pelo menos 23 votos na comissão especial da reforma na Câmara, mas pode estender o prazo para levar a proposta de emenda à Constituição ao plenário, já que ainda não tem uma margem de segurança para garantir a aprovação, disseram fontes à Reuters.

O presidente da comissão especial, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), manteve o início da votação do projeto para esta quarta-feira e informou que o governo quer acelerar a aprovação do texto.

"O movimento do dólar ante o real é tímido porque o caminho a seguir ainda é longo. A Previdência ainda vai causar muita instabilidade", disse um operador de câmbio de uma corretora nacional.

O desempenho do dólar também era contido pelo comportamento da moeda no exterior, onde subia ante uma cesta de moedas e também entre divisas de emergentes, como o peso mexicano e a lira turca em dia de decisão de política monetária do Federal Reserve.

O banco central norte-americano manteve inalterada a taxa de juros entre 0,75 por cento e 1 por cento, como previsto, em decisão unânime dos membros do colegiado. A autoridade minimizou o crescimento econômico fraco no primeiro trimestre e enfatizou a força no mercado de trabalho, em um sinal de que pode aumenta os juros já em junho.

"O comunicado aparentemente mantém a porta aberta para uma elevação em junho, se os dados ajudarem. As atenções agora se voltam para o relatório do mercado de trabalho, na sexta-feira", destacou a gestora canadense CIBC Capital Markets em comentário a clientes.

Internamente, o dólar teve pouca variação ante o real depois da divulgação da decisão do Fed.

"O Fed não trouxe novidades e as atenções agora se concentram na decisão sobre a reforma da Previdência. O mercado fica um pouco cauteloso", comentou um profissional de uma corretora nacional.

O Banco Central não anunciou qualquer intervenção para o mercado de câmbio para esta sessão, por ora. Em junho, vencem 4,435 bilhões de dólares em swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below