ENTREVISTA-Engie quer entrar em operação de aeroportos no Brasil via leilão ou aquisições

quinta-feira, 4 de maio de 2017 16:13 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - O grupo francês Engie busca expandir sua atuação no Brasil para um novo ramo de negócios, o de operação de aeroportos, de olho em novas oportunidades de investimentos no país, onde já é um dos maiores do setor elétrico.

A ideia é disputar concessões que venham a ser oferecidas pelo governo ou realizar aquisições, disse à Reuters nesta quinta-feira o diretor de Estratégia, Comunicação e Responsabilidade Social da Engie Brasil, Gil Maranhão.

"Estamos atentos para algumas reestruturações, para a consolidação. Podemos ser sócios ou entrar em uma alienação", disse o diretor, referindo-se a aeroportos já licitados no país.

Ele não comentou valores que a companhia estaria disposta a aportar no setor, mas ressaltou que o interesse da Engie pelo país é grande, e que a empresa está preparada para empreendimentos de porte significativo.

"Tudo em nosso grupo é muito grande... a gente não tem condição de entrar para brincar", comentou.

Outra opção seria ingressar no setor por meio de leilões de concessões, que poderiam ocorrer entre março e abril de 2018, em certames em que o governo espera arrecadar até 4 bilhões de reais em outorgas.

De acordo com o executivo da Engie, a companhia chegou a analisar o leilão de concessões de aeroportos realizado pelo governo em março, no qual foram oferecidos os terminais de Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC), Salvador (BA) e Fortaleza (CE), mas optou por não entrar na disputa na ocasião.

"Chegamos a estudar entrar no último... estudamos parcerias, mas não deu tempo. É uma coisa que estamos olhando com muito carinho", disse.   Continuação...