Conab negocia 100% das opções de milho em operação de apoio a produtores de MT

quinta-feira, 4 de maio de 2017 19:53 BRT
 

SÃO PAULO/CUIABÁ (Reuters) - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) negociou nesta quinta-feira 100 por cento dos 7.400 contratos de opção de venda de milho ao governo, em um volume equivalente a cerca de 200 mil toneladas, em operações que marcam o início do apoio do governo federal aos produtores de Mato Grosso, que lidam com preços baixos diante da expectativa de uma safra recorde.

O ágio para a disputa dos contratos em leilão da Conab foi elevado, de 91,18 por cento, mostrando o interesse dos agricultores do principal Estado produtor de grãos do Brasil, onde as cotações estão abaixo do mínimo estabelecido pelo governo.

Nos contratos de opção, os produtores terão até o dia 11 de setembro deste ano para confirmar que exercerão o direito de venda do produto à Conab pelo valor de 17,87 reais por saca de 60 kg do milho das safras 2016/17 e 2017.

Em algumas regiões de Mato Grosso, os preços estão abaixo do mínimo de garantia do governo, de 16,50 reais.

Além do leilão de opções, produtores rurais negociaram nesta quinta-feira 82 por cento dos contratos de subvenção ao mercado de milho oferecidos pelo governo, em um leilão de prêmios conhecidos como Pepro, em que a equalização é paga aos agricultores ou a cooperativas.

No total, haviam sido ofertados, neste primeiro leilão do gênero nesta temporada, prêmios para 200 mil toneladas do cereal. O governo negociou 164,1 mil toneladas com Pepro, em uma operação que movimentou 7,8 milhões de reais.

A operação, que deverá ajudar na liquidez de um mercado que está virtualmente paralisado, costuma impulsionar as exportações do Brasil.

"Os leilões são importantes, pois o mercado de milho está muito desaquecido. Os leilões permitem que o mercado volte a se movimentar", afirmou o gerente de política agrícola da associação do setor Aprosoja, Frederico Azevedo e Silva.

Mas o gerente ponderou que o prêmio em algumas regiões pode não remunerar o produtor adequadamente.   Continuação...

 
Colheitadeira de milho em operação em campo de Santo Antônio do Jardim, no Estado de São Paulo
06/02/2014
REUTERS/Paulo Whitaker