CEO da GE alerta contra protecionismo norte-americano, quer condições de igualdade

sexta-feira, 5 de maio de 2017 13:24 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O presidente-executivo da General Electric, Jeff Immelt, alertou o governo Trump na quinta-feira para evitar políticas protecionistas e pediu que nivelasse o campo de atuação das empresas norte-americanas com reforma tributária, revitalização do financiamento das exportações e melhores acordos comerciais.

Em um discurso na Universidade de Georgetown, o executivo disse que as empresas norte-americanas e os formuladores de políticas deveriam "tentar mais" para competir na economia global e vencer.

O sentimento do público em relação à globalização e ao livre comércio mudou permanentemente por causa de suas associações com a terceirização que pressionou para baixo os salários, a ascensão da China como um poder exportador e as perdas de empregos, por isso uma nova definição era necessária, segundo o executivo.

"Devido a esses fatores, não vamos voltar para um mundo puro de comércio livre", disse Immelt. "Mas o protecionismo é a resposta? Eu garanto a vocês ... que nós temos mais a perder com o protecionismo."

Immelt disse que se os líderes norte-americanos pensam que os cidadão dos EUA querem viver sem os benefícios da integração econômica global, eles precisam despertar. "Precisamos lutar por novas tecnologias, não pelas velhas."

Em vez de se retirar dos acordos comerciais, Immelt disse que os EUA deveriam trabalhar para modernizá-los e melhorá-los, e o NAFTA representava uma excelente oportunidade.

"Não cresceremos se não negociarmos com as pessoas", disse ele.

(Por David Lawder)