Buffett culpa negligência do Walls Fargo por escândalo de vendas

sábado, 6 de maio de 2017 13:21 BRT
 

Por Jonathan Stempel

OMAHA, Estados Unidos (Reuters) - Warren Buffett culpou neste sábado a administração anterior do Wells Fargo por falhar em tomar ações imediatamente ao descobrir que seus funcionários estavam registrando clientes para contas que eles não queriam.

Falando durante a reunião anual da Berkshire, marcada também pela presença do vice-presidente Charlie Munger, Buffett disse que o Wells Fargo deu autonomia demais aos funcionários para engajarem em "vendas cruzadas" de múltiplos produtos para bater metas de vendas.

Ele disse que isso "incentivava o tipo errado de comportamento" e que o ex-presidente John Stumpf, que perdeu seu emprego em razão do escândalo, foi muito lento ao resolver o problema.

A Berkshire detém cerca de 10 por cento das ações do Wells Fargo.

Buffett comparou a situação ao Salomon Brothers, onde ele foi colocado como presidente em 1991 para limpar a bagunça deixada quando o ex-presidente falhou em dizer aos órgãos reguladores que um operador estava submetendo ofertas falsas em leilões do Tesouro.

Buffett discutiu o Wells Fargo em resposta a uma pergunta sobre se a estrutura descentralizada da Berkshire poderia provocar uma recorrência.

Mas ele disse que a Berkshire é receptiva a alertas sobre mau comportamento em um "linha de apoio" interna que recebe 4 mil ligações por ano.

Buffett também admitiu que estava errado ao pensar que a IBM "faria melhor" há seis anos, quando ele começou a acumular uma participação acionária de 81 milhões de dólares.   Continuação...