8 de Maio de 2017 / às 16:33 / em 3 meses

Petrobras diz que diretor na Bolívia está em prisão domiciliar

Logo da Petrobras na sede da companhia em Vitória, no Espírito Santo 10/02/2017Paulo Whitaker

SÃO PAULO/LA PAZ (Reuters) - A estatal Petrobras disse que o chefe de suas operações na Bolívia está em prisão domiciliar devido a uma disputa envolvendo um pagamento junto a um fornecedor local.

A petroleira afirmou em nota que a disputa envolve 2,5 milhões de dólares, de um total de 9,5 milhões de dólares em um contrato para a prestação de serviços ao bloco de petróleo San Antonio.

Um advogado da fornecedora, Vialco SRL, disse ao jornal boliviano El Deber que a Petrobras deve à companhia mais de 2,5 milhões de dólares, enquanto a Petrobras disse que a empresa já foi completamente paga.

A Petrobras tem sido atingida por um enorme escândalo de corrupção e pelos baixos preços do petróleo nos últimos anos, o que levou a companhia a iniciar uma reestruturação que passa pela venda de ativos para reduzir sua enorme dívida.

A petroleira disse que seu "representante legal" na Bolívia está em prisão domiciliar em Santa Cruz desde 22 de março, e um tribunal local negou um pedido para prendê-lo em 2 de maio. A mídia local disse que o representante legal é o diretor da Petrobras na Bolívia, Marcos Antunes.

A Reuters não conseguiu contato imediatamente com a Vialco SRL ou seu advogado. A Petrobras disse estar confiante de que a prisão será derrubada em breve.

Por Guillermo Parra-Bernal em São Paulo e Daniel Ramos em La Paz

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below