IPCA tem menor alta para abril desde o Plano Real e vai abaixo do centro da meta, aponta IBGE

quarta-feira, 10 de maio de 2017 09:57 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - Os preços de energia elétrica e combustíveis recuaram e a inflação oficial brasileira registrou o menor nível para abril desde o Plano Real (1994), indo abaixo do centro da meta do governo e abrindo caminho para o Banco Central ser mais agressivo ao reduzir os juros.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) avançou 4,08 por cento nos 12 meses até abril, sobre 4,57 por cento no mês anterior. A meta oficial é de 4,5 por cento pelo IPCA, com tolerância de 1,5 ponto percentual neste ano e no próximo.

Trata-se do nível mais baixo nessa base de comparação desde julho de 2007, quando a inflação chegou a 3,74 por cento, e foi abaixo do centro da meta pela primeira vez desde agosto de 2010, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira.

Na comparação mensal, o IPCA desacelerou a alta a 0,14 por cento no mês passado, sobre 0,25 por cento em março, ligeiramente abaixo das expectativas de analistas em pesquisa da Reuters, de 0,16 por cento no período. Para o acumulando em 12 meses, as contas indicavam avanço de 4,1 por cento.

A menor pressão inflacionária tem como pano de fundo cenário de recuperação econômica ainda fraquejante, com desemprego alto e renda baixa que contêm o consumo.

ENERGIA E COMBUSTÍVEIS

A inflação de abril teve como destaques as quedas nos preços de energia elétrica e combustíveis, respectivamente de 6,39 e 1,95 por cento, em abril. Segundo o IBGE, a queda nas contas de energia representou o maior impacto negativo do mês (-0,22 ponto percentual) e se deveu aos descontos adotados para compensar cobranças indevidas relacionadas à usina de Angra III.   Continuação...