ENTREVISTA-Em balanço de um ano, Padilha destaca governo semiparlamentar e agenda econômica

quinta-feira, 11 de maio de 2017 15:58 BRT
 

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - Na véspera de Michel Temer completar um ano à frente do Palácio do Planalto, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que as duas grandes conquistas da administração peemedebista são a parceria com o Congresso, num governo "semiparlamentar", e o apoio à agenda econômica do Executivo.

Temer assumiu interinamente o comando do país no dia 12 de maio, após o Senado ter determinado o afastamento da então presidente Dilma Rousseff. A petista foi condenada pelo Senado no dia 31 de agosto, quando Temer foi efetivado no comando do país.

Para Padilha, desde os tempos da retomada da democracia, não havia uma sintonia entre parlamentares e o governo. O ministro citou que, hoje, o governo tem uma base de 411 deputados, dos quais cerca de 330 deles votam com o governo.

"É uma base muito forte e consistente e mostra a capacidade dele, Michel Temer, de fazer um governo eminentemente político e semiparlamentar", disse o ministro em entrevista à Reuters.

Segundo o ministro, Temer sempre buscou os parlamentares para apoiarem as suas iniciativas. Ele destacou como motivo de sucesso do primeiro ano de gestão do atual presidente a aprovação da emenda à Constituição que estabeleceu um teto para os gastos públicos, a primeira medida para conter as despesas, e o encaminhamento da reforma da Previdência.

"Ela (a reforma da Previdência) já foi aprovada na comissão (especial da Câmara) e temos convicção que vamos aprovar em plenário", garantiu Padilha, sem, contudo, querer falar em prazo para que a matéria seja apreciada pelos deputados em plenário.

Ele disse que está sendo feito um trabalho de convencimento com a base aliada para ter mais do que os 308 votos necessários para passar a proposta. 

  Continuação...

 
Ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha
07/07/2016
REUTERS/Ueslei Marcelino