Perto da recuperação extrajudicial; OOG diz que negociação com credores está em fase final

sexta-feira, 12 de maio de 2017 18:17 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A Odebrecht Óleo e Gás (OOG) teve aval de mais de 60 por cento de seus credores para formalizar uma recuperação extrajudicial, que será anunciada na próxima semana, disseram fontes a par do assunto, com a empresa confirmando à Reuters que negociações com credores estão em fase final.

Segundo duas fontes a par do assunto, a companhia, braço de perfuração offshore de petróleo da Odebrecht concluiu um acordo que vem sendo costurado desde 2015 com um grupo majoritário de credores.

Em resposta à consulta da Reuters, a companhia afirmou em comunicado que as negociações estão em fase final para reestruturar a dívida e "permitir sua sustentabilidade operacional e financeira no curto e longo prazo".

"A companhia espera contar com a adesão da maioria dos detentores de seus títulos e fornecerá maiores detalhes sobre a operação assim que esta for concluída", conclui o comunicado.

A Reuters publicou no fim de março, também citando fontes, que a OOG negociava essa alternativa para reescalonar pagamentos sem ter que obter aval de todos os milhares de detentores de seus títulos.

Segundo um documento obtido pela Reuters, a OOG deve emergir da recuperação com outro nome, conforme comunicou o próprio presidente-executivo da companhia, Roberto Simões, em reunião interna com funcionários no mês passado. A avaliação do grupo é que a associação ao nome da holding Odebrecht é um empecilho para o futuro da empresa.

Sofrendo os efeitos combinados da crise no setor de óleo e gás e do envolvimento de sua controladora nas investigações da operação Lava Jato, a OOG negocia com credores e investidores desde o fim de 2015 uma readequação de seus cerca de 5 bilhões de dólares em dívida, com a maior parte disso vencendo até 2022.

Segundo uma das fontes, a OOG avalia que com a entrada em operação nos próximos meses de seu navio-plataforma FPSO Pioneiro, em Libra, maior reserva de petróleo do pré-sal, terá condições de propor um alongamento dos pagamentos a credores e investidores sem mesmo ter que propor uma redução do valor principal. O navio vai prestar serviços à Petrobras e deixou o estaleiro em Cingapura rumo ao Brasil no final de março [nL2N1H624I].

A OOG anunciou no fim de março que honraria um pagamento de juros e que um grupo relevante de detentores de títulos concordou em dar à empresa alívio temporário para fluxo caixa.