Wall St cai pressionado por ações de lojas de departamento

sexta-feira, 12 de maio de 2017 18:51 BRT
 

(Reuters) - Wall Street recuou nesta sexta-feira, encerrando a semana em queda, com fracos dados econômicos pressionando as ações de bancos e com o aumento de preocupação com a Nordstrom e outras lojas de departamento.

O índice Dow Jones caiu 0,11 por cento, a 20.896 pontos, enquanto o S&P 500 perdeu 0,15 por cento, a 2.390 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançou 0,09 por cento, a 6.121 pontos.

Na semana, o Dow Jones caiu 0,5 por cento, o S&P perdeu 0,4 por cento, e o Nasdaq subiu 0,3 por cento.

O sentimento de aversão ao risco tomou conta de Wall Street esta semana depois que o presidente Donald Trump demitiu inesperadamente o chefe do FBI, e as consequências dessa medida podem atrasar os objetivos de crescimento de Trump, que envolvem corte de impostos e aumento de gastos com infraestrutura.

As fracas vendas de varejo e os dados mensais da inflação divulgados nesta sexta-feira levantaram preocupações com o lento crescimento econômico dos EUA e questionamentos se o Federal Reserve, banco central norte-americano, poderia manter sua posição sobre o aumento dos juros neste ano.

As taxas de juros futuros mostram uma possibilidade de 49 por cento de mais dois aumentos de juros neste ano, comparado com 54 por cento antes da divulgação dos dados, de acordo com o FedWatch, do Grupo CME.

Os bancos, que normalmente se beneficiam de taxas de juros mais altas, contribuíram para a queda do S&P 500 e do Dow Jones. O setor financeiro recuou 0,45 por cento, enquanto o setor industrial perdeu 0,65 por cento.

As lojas de departamento enfrentaram sérias perdas pelo segundo dia consecutivo depois que J.C. Penney informou vendas menores do que o esperado, o que fez com que as ações recuassem 13,99 por cento.

O papel da Nordstrom caiu 10,84 por cento após fracas vendas trimestrais.   Continuação...